Por Luana Borges

Gloria Steinem e Dorothy Pitman-Hughes, em 1972 e 2014.

Em ambas as vesões das fotos acima as protagonistas demonstram a saudação com punho fechado comum nos anos 70, símbolo da igualdade racial há mais de 40 anos. A mensagem de Gloria e Dorothy sempre foi o empoderamento feminino, étnico, social e agora também é combater a discriminação  ao envelhecimento. Gloria e Dorothy lutaram pelos direitos civis e políticos femininos nos Estados Unidos, fundando em 1971 a “Women’s Action Alliance” – organização que criou os primeiros abrigos para mulheres vítimas da violência doméstica. Gloria e Dorothy são escritoras, feministas, ativistas e foram co-criadoras da revista feminista Ms Magazine (capa da primeira edição), a primeira criada para mulheres e por mulheres nos anos 70, que abordava temas sobre estupro, aborto, política, homossexualidade, violência doméstica, entre outros. Revolucionária e inspiradora! 

Gloria Steinem 

Nascida em1934, é uma jornalista estadunidense, famosa por seu engajamento com o feminismo e atuação como escritora e palestrante, principalmente durante a década de 1970. Foi a única jornalista que conseguiu se infiltrar nos bares da Playboy, como garçonete, sem que descobrissem sua real profissão. Com esse trabalho escreveu o artigo contando a experiência reveladora da situação degradante das moças. Gloria Steinem criou e editou a revista Ms. Magazine e produziu artigos célebres como A verdadeira Linda Lovelace” e “Se os homens menstruassem“. No Brasil, foi publicado o livro Memórias da Transgressão, uma coletânea de seus artigos publicados em vinte anos e foi lançado em 1992, o livro A Revolução Interior – Um Livro de Autoestima.

 

Gloria Steinem, ativista pró-aborto durante toda a vida, em foto para o livro “Abortion & Life” (Aborto e Vida), da autora Jennifer Baumgardner lançado em 2008.

Dorothy Pitman Hughes

Nascida em 1938 é uma feminista, advogada do bem-estar infantil, ativista Africana-Americana, oradora, autora, pequena empresária pioneira e mãe de três filhas. Ela é uma co-fundadora da revista Ms. Magazine em 1972, organizou o primeiro abrigo para mulheres agredidas em Nova York e co-fundou a Agência Cidade de Nova York para o Desenvolvimento Infantil. Hughes também é co-fundou junto à Gloria Steinem e outros a Ação Aliança das Mulheres em 1971. Elas faziam turnês juntas palestrando sobre gênero, classe e raça em toda a década de 1970.

Hughes é proprietária de três creches e era dona de uma empresa de abastecimento de limpeza no Harlem de 1997 a 2007 e escreveu sobre suas experiências em Acorde e cheire os dólares! (2011), Parece limpeza étnica (O Gentrification de Harlem) (2012), defendendo a posse de pequenas empresas para outros afro-americanos como uma forma de capacitação. Dorothy tem focado seu ativismo na comunidade Northside de Jacksonville na Flórida, com o cultivo de alimentos em bairros para combater a pobreza. Ela é proprietária do Portal Bookstore em Jacksonville.

“Se as mulheres pudessem ir aos bancos e obter um empréstimo de negócio, em seguida, todo o rosto de Harlem mudaria.” – Dorothy Pitman Hughes

Gloria Steinem e Dorothy Pitman Hughes no Ms. Fundation for Women do Visão Gala 2014 em maio de 2014 em New York.

Releitura da fotografia histórica no projeto  “Because of Them, We Can” da fotógrafa Eunique Jones 

“Feminista é qualquer um que reconhece a igualdade e plena humanidade de mulheres e homens.” “POR CAUSA DELAS, NÓS PODEMOS…”

Releitura da fotografia histórica pela artista Kol Porfírio. Fight like a girl (Lute como uma garota).


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *