assint luana

Foto: Mallu Magalhães e sua música Velha e Louca:

♪ Nem vem tirar
Meu riso frouxo com algum conselho
Que hoje eu passei batom vermelho,
Eu tenho tido a alegria como dom
Em cada canto eu vejo o lado bom.” ♪♪

O ato de se maquiar é uma cultura inserida em diversos povos e se tornou um comportamento de peso na vida de muitas mulheres em sociedade. Nesse contexto, a cor do batom mais queridinha e odiada, mais polêmica e revolucionária na história é a vermelha. Dentre outros ornamentos estéticos, também reflete estado de espírito e personalidade, interferindo diretamente na autoestima da pessoa que usa e na percepção social a ela. Geralmente quando mulheres escolhem o batom vermelho é quando o autoestima está confiante ou precisa de um força extra para estar, característica importante para cada mulher descobrir a própria força. Por isso não é à toa que Jout Jout agigantou a popularidade do seu canal no Youtube a partir do vídeo lindo NÃO TIRA O BATOM VERMELHO, criando uma corrente de empoderamento feminino contra relacionamentos abusivos.

Foto acima: cantora Madonna. Mulher com “atitude de batom vermelho”, muitas vezes chamada de ousadia, sempre demonstrou em sua carreira a desconstrução imagens femininas pudicas e frágeis, hipocrisias do machismo secular que macula e desvaloriza o sexo feminino. Herança de mulheres da história que nunca se calaram às desigualdades de gênero em relações de poder social, Madonna tem nas veias a inquietação e questionamento que a torna empoderada e inspiradora a diversas cantoras e outras tantas mulheres do mundo contemporâneo. É uma “corrente de batom vermelho” sendo passada adiante e cada vez mais fortalecida.

Essa qualidade energizante e empoderada da cor vermelha no batom foi descoberta há muitos tempo por mulheres como as rainhas do antigo Egito, Cleópatra e Nefertiti utilizavam o pigmento carmim extraído de um besouro, produzindo nos lábios um tom vermelho intenso. No século XVI a rainha da Inglaterra Elizabeth I também foi precursora, pois era fã de batom vermelho e gerou grande visibilidade ao cosmético. Mais tarde em 1770, o parlamento inglês proibiu o uso de pigmento nos lábios femininos, pois julgava isso como um artifício para seduzir e manipular os homens, além de criar uma lei que autorizava anulação de casamentos caso a mulher usasse tais cosméticos. Padrões estéticos que cerceavam a relação feminina com a própria aparênca, enquanto na França as mulheres das altas classes sociais eram encorajadas a usar maquiagem já que o “look natural” era reservado à classe proletária, exemplo da famosa atriz francesa Sarah Bernardt que no século XIX exibia batom vermelho em público, escandalizando as mentes conservadoras, como aliás, acontece ainda hoje.

Reações contraditórias ao longo do tempo que confirmam a repercussão do famigerado batom vermelho, por vezes considerado subversivo sendo velado e atacado, mas e também enaltecido, pois sua aliança à figura feminina se tornou intimidadora e poderosa. Empoderamento feminino no ambiente social que foi resistindo aos séculos e sendo representado pelo batom vermelho até os dias atuais. batom vermelho 40 - 50

Divas hollywoodianas que também consagraram o batom vermelho nos anos 40 e 50: Ava Gardner, Rita Hayworth, Bette Davis, Lauren Bacall, Elizabeth Taylor e Marilyn Monroe.

Segundo a escritora e historiadora inglesa Madeleine Marsh, a primeira e mais famosa manifestação feminista do século XX, o Sufrágio contou com diversas mulheres de batom vermelho vibrando numa voz ressonante empoderada no espaço público, reivindicando o direito de votar e despertando uma geração de mulheres para reconhecer seus poderes como indivíduos sociais e sexo igualmente forte ao masculino, diferente do que as fizeram acreditar. Ainda, no período da Segunda Guerra Mundial os batons lançados na cor vermelha vinham com nomes que remetiam à tensão mundial como “vermelho luta” e o “vermelho patriota”. LUTA, provavelmente o significado essencial da simbologia de poder feminino que o batom vermelho se apropriou e acompanha a figura feminina, ilustrando estudos e ideais feministas e rotinas de mulheres empoderadas.

Sufragistas 

redlipsproject-04

Foto acima: The Red Lips Project, iniciativa criada pela estudante Aditi Kulkarni, com o objetivo mostrar às mulheres como são poderosas. Aditi fotografou muitas anônimas usando um batom vermelho e às perguntou: “O que faz você se sentir poderosa?”. Algumas respostas foram:

  • “a capacidade de transformar ideias em ações.”
  • “saber o que eu quero e ter a opção de dizer não quando eu não quero alguma coisa.” 
  • “quando sou capaz de reconhecer minhas próprias necessidades e exercitar minha capacidade de dizer não.”
  • “quando estou fazendo arte. A capacidade de criar me enche de um sentimento de poder real e segurança emocional”.  

batons vermelhos

Textura matte, cremosa, cintilante ou brilhosa, cor vermelho sangue, alaranjado, rosado ou bordô, o batom vermelho nunca sai de moda. Mas saiba que há técnicas importantes ao passar o batom vermelho, entre outras DICAS sobre o batom vermelho ideal para você usar:

  • a regra básica é não ter regra, usar batom vermelho sem limitação, experimentar o que parecer mais interessante para o dia ou noite que decidir se maquiar, autêntica e independente;
  • como um item de maquiagem ímpar, o batom vermelho tem a capacidade de refletir autoestima elevada na mulher, algo que ela deve manter mesmo sem batom nenhum, usá-lo como um fortalecedor e não como item indispensável para cultivar o amor proprio;
  • o batom vermelho harmoniza melhor em peles de mulheres confiantes, conscientes do próprio poder como ser humano e mulher;
  • o batom vermelho é muito indicado para lábios de mulheres que tem receio de chamar muita atenção, parecer um palhaço ou uma puta, que gastam demasiada energia se preocupando com a  opinião alheia, o batom vermelho pode curar isso;
  • o batom vermelho combina com roupas clássicas e ocasiões formais, mas também com momentos descontraídos, porque ele combina de verdade é com liberdade e autoconfiança, qualidades de quem costuma usá-lo com frequência;
  • o batom vermelho intensifica a sensualidade de uma mulher e, sobretudo, sua presença social resiliente de questionar e se impor em prol respeito do respeito e direitos que devem ser recuperados e preservados;
  • o principal erro ao se maquiar com batom vermelho é não lembrar e praticar(!) o seu significado libertário e empoderador no universo feminino.

 

 


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *