assint luanailustrações transtornosO que é um corpo perfeito? O que significa se encaixar nos padrões estéticos sociais? Ilusões criadas na mentalidade social que deixa muita gente doente. A anorexia por exemplo, uma doença tradicionalmente associada as mulheres, tem atingido cada vez mais homens, pois independente de sexo, profissão ou classe econômica, todos podem ser influenciados seja por pressão familiar ou estereótipos da mídia e da moda, causando transtornos de imagem e alimentares. Uma realidade social que precisa ser refletida e quando percebida tratada por profissionais da saúde. A noção distorcida de beleza não pode se sobrepor à saúde das pessoas, o limite está no EXCESSO de magreza, de gordura, de músculos, de OBSESSÃO pelo corpo e pela comida. As formas físicas de nada valem se a mente não está equilibrada, com boa autoestima, em paz com o espelho e tranquila quanto as críticas externas que existem aos montes e não precisam ser aceitas.

Entenda melhor o assunto com as informações da Nutricionista Janaína Marques:

“Considera-se transtorno alimentar  qualquer alteração relacionada à alimentação de alguém. Esta alteração pode ser devida a fatores metabólicos ou psicológicos. A faixa etária mais atingida é a adolescência, tanto devido às adaptações sofridas no corpo quanto a fatores sociais e emocionais envolvendo a convivência na família, na escola, no trabalho, etc. Porém, outras faixas etárias também são atingidas pelas mesmas doenças.

As disfunções alimentares ganharam maior destaque na mídia e conhecimento popular por conta de casos de adolescentes que, sem controle alimentar, tiveram sérios problemas de saúde, chegando até a haver casos de morte. As disfunções mais conhecidas são: a bulimia e a anorexia. Mais recentemente tornaram-se também ameaças a ortorexia e a vigorexia.

Anorexia e Bulimia

A anorexia é frequentemente associada à bulimia, podendo ocorrerem ao mesmo tempo em um indivíduo. A bulimia apresenta sintomas similares aos da anorexia e é ainda mais comum, podendo atingir 1 em 4 adolescentes (moderadamente).

Estes distúrbios alimentares vem de uma insatisfação com a aparência física. A pessoa enxerga-se sempre como se estivesse acima do peso, o que a torna dependente de uma vida com privações, em busca de atingir o peso ideal. Ambos tem natureza psicológica e devem ser tratados ao mesmo tempo por um médico especialista, psicólogo e nutricionista.

bulimia anorexia

BULIMINIA

A maioria são comportamentais – a pessoa se alimenta ingerindo uma quantidade exorbitante de alimento, compulsivamente, e após a ingestão seu propósito é livrar-se dos alimentos ingeridos. Por se sentirem culpadas, as pessoas podem tomar atitudes como ingerirem uma grande quantidade de laxantes e diuréticos ou de remédios que induzem o vômito, jejuar por longos períodos ou exercitar-se freneticamente em busca de queimar as calorias adquiridas.

A perda de peso, porém, não é tão rápida, pois a pessoa continua se alimentando, podendo assim viver anos com a doença sem que ninguém suspeite. Isso torna o início do tratamento mais difícil e com que a recuperação da pessoa seja mais lenta. Muitas vezes acontecem recaídas, a pessoa não admite ter a doença, entre outras complicações.

ANOREXIA

A pessoa é levada a parar de ingerir alimentos quase completamente. Pode tomar atitudes como pesar os alimentos, medir a quantidade de líquido que vai tomar, etc. Além disso, o corpo pode começar a rejeitar os alimentos e o vômito acontece de modo não intencional logo depois que a pessoa se alimenta. Pode também sentir fortes dores estomacais, rejeitando, ainda assim, alimentar-se. Alguns se recusam a comer na frente de outras pessoas.

A anorexia pode ser detectada de maneira mais fácil que a bulimia, pois a pessoa apresenta uma perda de peso rápida e exagerada. O indivíduo pode enxergar uma imagem distorcida de si, ou seja, mesmo tendo ficado esquálido ainda continua a enxergar-se acima do peso.

anorexia_607

Campanha contra anorexia compara croquis a modelos reais

Vigorexia e Ortorexia

A ORTOREXIA é a obsessão por alimentos biologicamente puros, por uma alimentação saudável, enquanto a VIGOREXIA é a obsessão por um corpo “perfeito”. Esta última tem atingido mais aos jovens do sexo masculino, os quais, para atingir tal objetivo, acabam por utilizar suplementos alimentares e esteróides, associados a uma atividade física intensa.

ortorexia

A ortorexia, apesar de ainda pouco conhecida, é preocupante, pois ameaça a saúde do corpo, a saúde mental e emocional das pessoas. A preocupação exagerada com o que irá comer desvia a maior preocupação, que deveria ser com a SAÚDE do corpo. Hoje em dia existem questionários validados com o propósito de quantificar o grau da doença, ou simplesmente observar a existência do mesmo, como os que uso mais frequentemente que são:

  • EAT26 (questionário com 26 perguntas, onde irá responder, e o escorre que der, diz, se a pessoa tem propensão a desenvolver transtornos patológicos, ou não);
  • Escala de silhueta proposta por Stunkard (que tem figuras de silhuetas onde a pessoa marca em qual ela se enxerga, e qual gostaria de ser, e está insatisfação corporal pode ser um sinal de distorção da imagem corporal).

vigorexia.

As pessoas mais propensas são adolescentes e os adultos que de certa forma utilizam o corpo como ferramenta de trabalho. Exemplos desses perfis são artistas, bailarinos, atletas, nutricionistas e modelos.

Agora falando um pouco sobre a minha prática clínica, a bulimia é muito mais frequente do que imaginamos, a grande maioria das mulheres que chegam em consultório, já tiveram em algum momento da vida atitudes de transtornos alimentares, desde os mais discretos como uso de laxantes e diuréticos, para uma determinada ocasião se visualizarem mais magros, quanto os graves que ficam por meses tendo algum tipo de compulsão e em determinado momento se exercitam de forma exacerbada ou induzem vômitos para perderam este excesso de caloria ingeridos, e por diversos relatos de que faziam isto a messes até anos. Porém só buscam a ajuda quando veem que realmente essa prática não emagrece; E muitas vezes essas atitudes alimentares decorrem de uma infância onde sofreram algum tipo de bullying e que ainda na vida adulta isso não foi tratado.

O que posso dizer, é que não existe mágica, para um corpo esbelto, e que sim transtornos alimentares é uma doença e que tem que ser tratado de forma clara e objetiva com grupo multidisciplinar entre nutricionistas, médicos, fisioterapeutas, psicólogos, etc.”


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *