assint luana

Conheça Maria Ribeiro, a Fotógrafa do Universo Feminino, a artista responsável pelo projeto fotográfico Nós, Madalenas – Uma palavra pelo feminismo, que consiste em retratar a diversidade de mulheres, em cores preto e branco,  com a palavra que as representa escrita em seus corpos.

Entrevista via  page do Facebook Nós Madalenas:

Segundo Maria, as próprias fotografadas se voluntariam para fazer o retrato e cada uma escolhe sua própria palavra, com a única condição de que seja inédita no projeto. Entre os planos para “Nós, Madalenas” encontra-se uma exposição fotográfica e a publicação de um livro!

Mas seus trabalhos não param por aí. Apaixonada por tudo o que envolve o universo feminino, Maria Ribeiro faz ensaios de mulheres de todas as formas, em diversos contextos e de forma tão sensível e artística que faz com que toda mulher deseje estar diante de suas lentes.

“Um ensaio fotográfico é uma carta de amor a cada mulher. Longe de formas plásticas e comerciais, procuro fazer com que cada ensaio capte os traços, a personalidade, a alma de cada mulher”.
Sua mais nova área de atuação, dentro desse universo tão amado por ela, é a fotografia de partos humanizados. “É simplesmente uma explosão de amor. Registrar esse momento único e maravilhoso é um privilégio e um presente” – encerra ela.

Fotografias sensíveis e enfáticas, de empoderamento, autenticidade e reconhecimento da identidade feminina e seus direitos. Confira algumas fotos do projeto Nós, Madalenas – Uma palavra pelo feminismo (veja o ensaio completo AQUI):

10612971_464396440379394_7968555630764978481_n 10868222_431208230364882_9096111855786047667_n 10952407_435506743268364_3827024567557884314_n 10968366_441232399362465_2276871130924261454_n tumblr_nngvhsDR4E1u0y2epo1_500 tumblr_nngwriwpFA1u0y2epo1_500

^_^ Exemplo de atitude, ativismo, valorização da mulher e da pessoa humana com palavras de representatividade individual, do que sente e do que sofre pelo ambiente social que discrimina e critica mais do que propriamente pensa e vive. Por mais ensaios assim, que promovem reflexão sobre quanto precisamos respeito dentro gêneros e culturas, classes sociais, etnias e crenças. Somos todos um, quando temos o mesmo ideal de direitos iguais não sexistas e repeito mútuo pelas diferenças. Assim chega-se a uma vida com mais naturalidade, paz e o amor, o ápice de nobreza humana.


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *