assint luana

Quantas vezes você já pensou em fazer a volta ao mundo, para conhecer os pontos mais bonitos e as culturas mais distintas e curiosas?! Algum dia, mesmo que mentalmente você já deve ter feito essa viagem. Mas tem gente que bota o pé na estrada literalmente. No caso de Roberto Ambrósio Filho, foi a bike na estrada. Esse paulista de Araraquara tem 26 anos, é fotógrafo e formado em Administração, logo que pegou o diploma partiu em dezembro de 2012 numa aventura com duração de dois anos para percorrer toda América Latina de bicicleta. A viagem é contada na página Vestígio de Aventura, no momento ele está passando pela América Central. Abaixo confira a trajetória que Beto pretende concluir:

IMG_20140814_223843

Loucura?! Talvez, mas certamente ele verá coisas que pouca gente vê na vida e isso deve ser o mais gratificante da trip. Além de preparo físico para essa “pedalada” Beto precisou de muita força emocional e psicológica, pois afinal de contas, é uma aventura e tanto, sem voltar para casa por dois anos, conhecendo pessoas e lugares novos todo santo dia. Mas quem acompanha a história dele (que vai virar um livro, ainda bem!) sabe que ele é uma pessoa que parece ter nascido para essa aventura. O cara é otimista, alegre e sensível a tudo que vê e vivencia, conseguindo traduzir com fotografias (lindíssimas) e textos curtos no Facebook, um pouco do que vive entre os hermanos mundo a fora.

298044_455737717840655_2018888761_n1231195_457421327705244_1761614176_n

A Bendita entrevistou Beto quanto ao futuro e suas expectativas, o que vai fazer quando acabar essa viagem e seus planos para depois, se vai planejar outras aventuras ou ficar sossegado. Veja as respostas dele a seguir:

“As expectativas que tenho em relação a viagem na verdade não existem. Eu só quero continuar aprendendo, crescendo e respirando, dia após dia. Não sei o que vai ser, o que sei é que quero muito conseguir chegar no portão da minha casa pedalando, só isso. Sempre penso no momento em que eu chegar na minha casa, e fico muito curioso pra saber como vai ser. Não sei o que vou sentir. Talvez no começo eu sinta uma imensa felicidade por estar novamente com minha família e meus amigos que eu tanto sinto falta.

Vou querer ficar no colo da minha mãe 24 horas por dia, comendo e conversando. Vou querer sentar no quintal de casa pra tomar uma cerveja com meu pai, e também esquecer do tempo brincando com minha irmã (que na verdade brincava quando eu saí de casa, mas agora ela já é uma pré-adolescente, então não sei se ela vai querer brincar ou falar sobre a banda pop do momento).

Em relação a “o que fazer” quando chegar, a única coisa que sei é que vou lapidar os diários da viagem para publicar o livro. Fora isso, tudo pode acontecer… Tenho infinitos sonhos na minha cabeça e sei que vai ser difícil ficar parado. Tenho vontade de conhecer o mundo inteiro, mas não posso afirmar que isso irá acontecer, só Deus sabe o que será.”

 beto em panama

 

beto costa rica

No caminho da viagem muitas surpresas, a maioria positiva, principalmente com as pessoas que Beto encontrou. Ele tem um álbum no Facebook exclusivamente para reunir fotos de todas as pessoas que acolheram ele em cada cidade que chegou. Assim ele registra a gratidão a quem lhe deu poso e comida gratuitamente, abrindo as portas de casa para um “estranho”, viajante que dessa forma fez boas amizades! E assim Beto segue despertando sorrisos como o desse senhor (foto abaixo):

beto e veio

Completando a reflexão que Beto escreveu nesse post do Facebook, sobre a fama de Honduras e o medo:

“NÃO TENHA MEDO ! Se alguém me perguntar o que foi a coisa mais triste que eu vi nessa andança, eu não vou falar sobre a pobreza, já que a pobreza e a riqueza esta dentro de cada um, e não tem nada a ver com dinheiro. O que mais me deixa triste, é ver o medo que vive dentro das pessoas. Desde que cheguei na America Central, venho escutando as pessoas sempre falando dos perigos, dos assassinatos, roubos, o que as faz pensar que o lugar onde elas estão é sempre mais tranquilo, e “lá” é sempre mais perigoso. E o que vi por aqui, é que o principal foco dessas atrocidades mentais, é o país de Honduras. Uma triste fama de ser o país mais perigoso da região: “Lá é muuuito perigoso, você tem que tomar muito cuidado”. Tudo bem, entendo que existam perigos, assim como na Suiça também existe, mas será que é útil sentir medo? Será que esse medo vai nos afastar de algo? Na verdade sim… esse medo vai nos afastar de uma coisa muito importante: DE VIVER. Passei poucos dias em Honduras, já que o trecho em que estive era de apenas 130km, suficientes pra me mostrar um país cheio de sorrisos e mãos para o alto. Não paguei hotéis e quase não gastei dinheiro com comida, graças a hospitalidade das pessoas lindas que apareceram em meu caminho. Cada dia mais eu percebo que não podemos controlar nada. A lei universal é sagrada, não há nada que possa impedir os fatos de serem como eles são…então, pra que sentir medo? Eu prefiro seguir caminhando, deixando o caminho se adaptar aos meus passos…e recomendo! Atreva-se! TODA LA INSPIRACIÓN VIENE DE TU SONRISA! Que Diosito le bendiga hermosura!!”

t 1no

A foto acima mostra a postagem que Beto fez quando completou 1 ano de viagem e 26 de vida. Ele relatou um pouco sobre o que achava das pessoas que viajavam pelo mundo como ele agora e o que sente podendo realizar isso de verdade. Depois de um ano na estrada, concluiu que é realmente uma loucura fascinante de ser vivida! Conhecer o mundo pelos próprios olhos, pisando em cada lugar que sempre ouviu falar, poder tocar o mundo que somente via por fotos e imaginava como deveria ser. Quem não gostaria?! É uma sabedoria e tanto que pode se ganhar.

beto e lava

Dormir numa barraca no meio do deserto de sal no Chile, assistir lava vulcânica de perto na boca de uma vulcão, congelar os fios de cabelos e a meleca do nariz com a neve, pedalar debaixo do sol escaldante, nadar com tartarugas gigantes, conhecer diferentes tribos indígenas, etc. Esse moço está experienciando muita coisa legal nessa viagem, sentimentos, paisagens, pessoas, dores e sabores! Não sei você, mas eu “tô só pelo livro”. 😉

Clique AQUI e veja todos os diários de viagem de Beto Ambrósio! Ele faz um álbum especial para cada lugar que passa, também é muito interessante de acompanhar.

comenta ai

15.08.2014


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *